Alimentos orgânicos está se tornando uma tendência de alimentos no Brasil, como mais consumidores estão à procura de produtos mais saudáveis, a produção de alimentos orgânicos tem vindo a crescer ao longo dos últimos anos. Neste artigo vamos dar uma olhada no mercado de alimentos orgânicos no Brasil.

O que são produtos e alimentos orgânicos?

Mercado dos alimentos orgânicos

O mercado de alimentos orgânicos no Brasil experimentou um período de notável crescimento entre 2007 e 2013. Nesse período de cinco anos, a receita desses produtos no Brasil passou de R$118 milhões para R$ 700 milhões, representando mais de 0,5% da receita total da indústria alimentar brasileira, incluindo exportações de alimentos.

Graças ao crescimento do PIB brasileiro na década de 2000, a classe média brasileira cresceu em tamanho, o que impulsiona o consumo de itens mais caros devido aos seus benefícios, como os alimentos orgânicos. Junto com isso, as principais preocupações relativas à saúde e querendo alimentos saudáveis livres de pesticidas estão se tornando uma tendência.

Embora não haja estudos oficiais disponíveis, o diretor do Ministério do Desenvolvimento Agrícola estima que o mercado de alimentos orgânicos no Brasil cresce em média 20% ao ano, fomentado pelas vendas nos mercados de agricultores orgânicos, onde os agricultores familiares podem vender seus produtos diretamente aos clientes que procuram alimentos de qualidade superior.

Não sabe onde comprar alimentos orgânicos?

Nós da Orgânica Brasil oferecemos delivery de alimentos orgânicos frescos para as cidades de Belo Horizonte e Contagem.

Quero conhecer os alimentos

Produção no Brasil

Desde de 2013, o Brasil é classificado como um dos maiores produtores de alimentos orgânicos do mundo, de acordo com uma pesquisa do Instituto de Pesquisa de Cultura Orgânica e da Federação Internacional de Movimentos da Agricultura Orgânica. 

De acordo com o último Censo Agropecuário brasileiro realizado em 2006 pelo IBGE, o Brasil possui quase 5 milhões de hectares de terras destinadas ao cultivo de produtos orgânicos, tornando o Brasil o décimo país onde a maior parte da terra é utilizada para agricultura orgânica. 

Apesar disso, quando comparados com a quantidade total de terras agrícolas no Brasil, os números são menos otimistas, pois representam apenas 0,27%. Mais de 85% de todos os produtores orgânicos são provenientes de fazendas familiares.

O número de produtores orgânicos está aumentando no Brasil. Em 2012, havia cerca de 5.500 produtores orgânicos no Brasil que estavam devidamente registrados e em conformidade com os requisitos estabelecidos. Em 2013, esse número cresceu para 7,959 produtores biológicos e 10,064 unidades de produção orgânica no Brasil. A região Nordeste do Brasil tem a maioria dos produtores orgânicos, sendo 2.769 registrados. Apesar disso, a maioria dos produtores orgânicos da região Nordeste são agricultores familiares e representam apenas uma pequena parte da produção total de alimentos orgânicos no Brasil. De 2007 a 2012, a produção de alimentos orgânicos passou de 40.000 toneladas para 300.000 toneladas.

Os seguintes estados concentram mais de 70% da produção brasileira de alimentos orgânicos:

Paraná

São Paulo

Rio Grande do Sul

Minas Gerais

Espírito Santo

Registro no MAPA

Desde 2011, todos os produtores de alimentos biológicos precisam ser registrados para que possam ser devidamente certificados como produtores de alimentos orgânicos. O Cadastro Nacional de Produtores Orgânicos é o órgão regulador nacional e é gerido pelo MAPA: Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Os produtores certificados recebem o selo SisOrg, que testemunha a regularidade dos produtos. O registro com o MAPA pode ser feito através de três métodos diferentes:

  • Certificação por auditoria: a outorga do selo SisOrg é feita por uma empresa certificadora pública ou privada credenciada pelo MAPA. O organismo de avaliação da conformidade cumpre as normas internacionais e os requisitos técnicos brasileiros específicos.
  • Sistema de garantia participativo: o produtor adere a um grupo certificado de produtores que irá aconselhá-los na obtenção do selo SisOrg.
  • Controle social nas vendas diretamente ao consumidor: sempre que um produtor orgânico vende seus produtos diretamente ao consumidor, sem a ação intermediária de uma empresa, eles não precisam ter seus produtos certificados como orgânicos. Mas ainda é necessário que eles se credenciem como um grupo certificado de produtores

A partir de 2014, o método "Controle social nas vendas diretas ao consumidor" é o mais utilizado pelos produtores orgânicos para certificar seus produtos, já que não tem nenhum custo envolvido e que não precisa de nenhum tipo de certificação.

Incentivos à produção de alimentos biológicos

Para incentivar a produção de alimentos orgânicos, o Ministério do Desenvolvimento Agrícola publicou um Plano Nacional de Agroecologia e Produção Orgânica. 

Este Plano concederá incentivos, na sua maioria aos agricultores familiares, e concederá linhas de crédito de forma menos estrita e, assim, facilitará a certificação dos produtos pelos produtores biológicos. 

Uma das principais razões pelas quais os agricultores familiares optam pelo método "Controle social nas vendas diretas ao consumidor" é porque os outros dois métodos, especialmente a "certificação por auditoria", são muito caros.

Programa especial de exportação

A Apex-Brasil é uma agência governamental responsável pela promoção de produtos e serviços brasileiros no exterior e atrair investimentos estrangeiros para setores estratégicos da economia brasileira. 

Desde 2005, a Apex-Brasil mantém um programa de exportação especial para fomentar as exportações brasileiras de produtos orgânicos. A partir de 2014, a Organics Brasil reuniu mais de 70 empresas brasileiras e mais de 1.000 produtos diferentes. O programa realizou atividades promocionais em todo o mundo, gerando negócios no valor estimado de USD130 milhões em 2013.

Além de ser uma ótima alternativa para quem procura um estilo de vida mais saudável, os alimentos orgânicos incentivam a agricultura familiar e a economia da agricultura brasileira.